Em Londres, David Hockney mostra telas “pintadas” no iPad


“Um Novo Olhar de David Hockney “

Exposição em Londres até ao dia 09 Abril 2012.

David Hockney nasceu na cidade de Bradford, em Yorkshire e, segundo ele, voltou a pintar no condado natal, porque “é uma paisagem que conheço desde criança e tem um significado”.

A Royal Academy of Arts de Londres apresenta a primeira grande exposição de obras de arte de David Hockney. David realiza pinturas inspiradas nas paisagens de Yorkshire.

A exposição ‘David Hockney RA: A Bigger Picture‘ compreende um período de 50 anos de trabalho artístico e tem como objetivo explorar o fascínio de Hockney pela representação da paisagem.

The Arrival of Spring in Woldgate, East Yorkshire in 2011

Detalhe da exposição vai para os desenhos realizados pelo artista com iPad. No lugar do pincel, apps. Aos 75 anos, Hockney mostra-se bem integrado com as novas tecnologias. Além da série de “pinturas” feitas no iPad, o artista também produziu uma série de novos filmes produzidos com 18 câmeras, que serão exibidas em múltiplas telas, proporcionando ao visitante uma viagem visual fascinante desde seu olhar sobre a natureza.

Conhecido por usar novas tecnologias em seu trabalho, o artista revelou que estava tão compenetrado a fazer os quadros para a exposição, que rejeitou um convite para pintar a rainha Elizabeth Segunda. “Prefiro pintar gente que conheço”, justificou.

A exposição vai até o dia 9 de abril, na Royal Academy, próximo de Piccaddilly Circus.Depois da passagem por Londres, a mostra viajará para o Museu Guggenheim de Bilbao.

Hockney apresenta nesta exposição não só pinturas realizadas ao “modo tradicional”, mas também leva à Academia obras realizadas com Polaroid, fotocopiadoras a cores, iPad, iPhone e câmaras digitais, que são mostradas em múltiplos ecrãs.

Esta exposição foi organizada pela Royal Academy of Arts de Londres em colaboração com o Museu Guggenheim Bilbao e o Museu Ludwig de Colónia.

Reflexos : O passado e o presente – Energia eólica


“Os homens trazem dentro de si não somente a sua individualidade, mas a humanidade inteira, com todas as suas possibilidades.”  Goethe

Energias e Sinergias

Esta janela é a mostra de duas realidades bem actuais no nosso país profundo. Situada  numa pequena aldeia do  interior e isolada na serra ,  é bem visível esse contraste. Continuam a ser duas realidades bem diferentes em muito dos casos.

No reflexo do vidro da janela, podemos ver que quer a cesta quer a vasilha, hoje apenas servem como elementos decorativos, já não são usados para as suas antigas tarefas. São sinais de um passado recente, mas que estão bem presentes na memória das gentes do mundo rural.

Como todos sabemos as energias renováveis são uma alternativa às energias fósseis, e são uma forma de se diminuir o efeito de estufa. No caso português, estamos a assistir a uma re.florestação de torres eólicas em excesso por todo o país. O que a meu ver não está a deixar espaço e investimento para as outras energias, como seja o caso da solar. No presente caso da energia eólica, o processo é muito simples, basta unir sinergias :

Energia Eólica

O vento é aproveitado para pôr em movimento as pás dos aerogeradores, transformando a energia eólica em energia mecânica. Os aerogeradores possuem um gerador que transforma a energia mecânica em energia eléctrica. A energia acumulada em geradores é depois distribuída pelos consumidores, ou seja, a energia volta a entrar na rede de eléctrica e distribuída pelas populações. Aqui o preço a facturar devia ser mais baixo que a gerada pelo anterior processo. Mas, infelizmente parece que não é.

PATAGÓNIA – O DEGELO É UMA REALIDADE


Este slideshow necessita de JavaScript.

Photos: Glaciar Perito Moreno, Patagónia – Argentina

O degelo é hoje já uma realidade que de acordo com os mais recentes estudos científicos, vão-nos trazer graves consequências nestes próximos anos, ao contrário do que alguns cientistas (russos) muito recentemente disseram. Vá lá saber-se porquê. 

O aquecimento global é inevitável, por muito que o Homem venha a fazer. Até porque o consumo e a natalidade nos países ditos emergentes continua a aumentar. Uma coisa leva á outra. O consumo obriga a um maior consumo de recursos e  de energias. O problema é que há vinte anos atrás se fala sobre o aumento da população mundial e destas problemáticas. Está tudo surdo, mudo e cego. Já se devia ter começado com as medidas de poupança e controlo dos recursos, e o “Tratado de Kyoto – 15 Março1999”, mas que só entrou em vigor em 16.Fevereiro.2005 foi um mau exemplo disso…porque o Protocolo de Quioto propunha  uma redução da temperatura global entre os 1,4ºC e 5,8ºC até 2100. Quanto ao Acordo de Copenhagen 2009 (COP15) a ver vamos ...

http://olharpraterra.blogspot.com/search/label/degelo

The thaw is already a reality today that according to the latest scientific studies, we willbring serious consequences in the coming years, contrary to what some scientists (Russian) recently said. Come find out why.

Global warming is inevitable, however much one man will do. Also because the consumption and fertility in emerging countries such continues to increase. One thingleads to another. Consumption requires greater consumption of resources and energies.The problem is that twenty years ago talking about the increasing world population andthese issues. You are all deaf, dumb and blind. Already should have started with thesavings and control over resources, and the “Kyoto Treaty – 15 Mars 1999” but that only came into force on 16.February.2005 was a bad example … because the Kyoto Protocol proposed a reduction in global temperature between 1.4 º C and 5.8 º C by 2100. Concerning the Agreement of Copenhagen 2009 (COP 15) lets see….

http://olharpraterra.blogspot.com/search/label/degelo