Incidentes do Acaso : Parar, fechar os olhos e ver ( J. Saramago )


“Entre o momento captado na película e o momento em que olhamos a fotografia, existe sempre um abismo.”

John Berger

Os meros acasos não existem. Nada é ao acaso. As imagens mistério, que surgem do escuro, não são inventadas, elas sempre estiveram lá, mas nem sempre se consegue ver à primeira vista.

Há um abismo entre o acto de olhar para a cena e o momento em que se está convencido que é aquela imagem que se quer captar . Não é bem assim, até porque acontecem muitos imprevistos, nomeadamente quanto ao facto de algumas imagens ficarem desfocadas e aí se obter uma nova realidade, que se pode entender como uma não visão. Nas desfocagens o observador fica com alguma dificuldade na leitura, é verdade, mas também é verdade que a sociedade cada vez mais sofre de míopia.

José Saramago tinha razão no “Ensaio sobre a Cegueira” quando referia que o mundo está a ficar sem visão,  (…) “ter olhos quando os outros os perderam. Parar, fechar os olhos e ver“.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s