Os silêncios e vazios dos não-lugares (ausências)


O que ainda não está , o que veio e transita, o que já não está.  

O lugar só  espaço e não lugar,  o lugar ocupado em portanto,

nomeado,    o lugar outra vez espaço e depósito do que fica. “

José Saramago , “Manual da Pintura e Caligrafia”  ( 1977, p. 170)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Não-lugares são espaços de abandono e de ausência

A sociedade capitalista (pós-moderna) é cada vez mais geradora de não-lugares que por sua vez criam de espaços de abandono e de ausência, onde a indiferença é a principal responsável pelo isolamento do sujeito enquanto membro social.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s